Imprimir

Sobre

Categoria: Sobre
Data de publicação
Escrito por adm
Acessos: 839

O Grupo de Estudos Territoriais (GETE) foi fundado em 2003, na Universidade Estadual de Ponta Grossa - Brasil. Desde este ano desenvolve pesquisas sobre a relação em torno do espaço, gênero e sexualidades. Os temas de nossas pesquisas são: mulheres pobres em periféria urbano; relacionamento de mulheres pobres com áreas verdes; espacialidades, mulheres e participação política; a dimensão sócio-espacial de re-organização das famílias pobres após a dissolução conjugal; relacionamento em torno do espaço e ressocialização de mulheres egressas do sistema penitenciário; espaço na composição das vulnerabilidades de adolescentes em conflito com a lei; territórios na composição da existência cotidiana de adolescentes do sexo masculino; espacialidades, violência, morte e o uso de crack por adolescentes do sexo masculino; masculinidades, uso de crack e instituição de espacialidades em periferias urbanas; espaço intra-urbano e território da prostituição travesti; prostituição travesti no sul do Brasil; ausências e silêncios do pensamento geográfico; a produção do espaço interdito; espaço e exploração sexual de crianças e jovens; a imigração ilegal e as representações sociais das mulheres brasileiras trabalhadoras do sexo em Madrid; representações sociais presentes no YouTube sobre o espaço brasileiro no contexto da recente migração internacional entre o Brasil e Portugal; além de trabalhos de iniciação científica.

Outra frente de trabalho está relacionada à gestão da Revista Latino-Americano de Geografia e Gênero (http://www.revistas2.uepg.br/index.php/rlagg). Desde que RLAGG foi fundada no ano de 2010, já foram publicados 6 volumes com mais de 100 reflexões construídas por  pesquisadores do Brasil, Argentina, Portugal, Inglaterra, Espanha, México, Uruguai, Chile e EUA. A intersecção com o RLAGG, ou com a participação e organização do I e II Seminário  Latino-Americano de Geografia e Gênero (2011 e 2014), mostra a variedade de pesquisas realizadas pelo GETE nos campos da Geografia Feminista e Geografia Queer, no âmbito Latino-Americana.

Para articular pesquisadores, militantes e outras parcerias, a fim de incentivar o debate sobre o espaço, igualdade de gênero e direitos sexuais, ampliando as perspectivas de gênero e sexualidades no campo da Ciência Geográfica e contribuindo para o desenvolvimento de políticas públicas através da disseminação das pesquisas feitas por os membros da rede, o GETE participou da criação, no meio de 2012, da Rede de Estudos de Geografia, Gênero e Sexualidade Ibero-Latino-Americana (REGGSILA) (https://reggsila.wordpress.com).

Todas as pesquisas e reflexões realizadas pelo GETE foram estruturadas procurando uma geografia emancipatória, respeitando as diferenças, bem como, outras existências. A pesquisa de mulheres pobres, prostitutas, travestis, garotas sexualmente exploradas e meninos moradores de áreas urbanas periféricas, são demandas urgentes da Geografia Latino-Americana. Os componentes do Grupo de Estudos Territoriais e suas parcerias acreditam, acima de tudo, na responsabilidade política de produção científica.